Solitudes é o nome de uma exposição que aconteceu em maio de 2019 aqui em Berlim. Com a participação de 3 artistas brasileiros radicados na capital da Alemanha: Gabriel Centurion, Tahian Bhering e Ingrid Bittar aka Britta. Durante a finissage, tive o prazer de tocar algumas das minhas músicas e foi assim que surgiu o primeiro disco ao vivo do Muqdisho.

Solitudes é o primeiro disco ao vivo do Muqdisho

Solitudes é o nome de uma exposição que aconteceu em maio de 2019 aqui em Berlim. Com a participação de 3 artistas brasileiros radicados na capital da Alemanha: Gabriel Centurion, Tahian Bhering e Ingrid Bittar. Durante a finissage, tive o prazer de tocar algumas das minhas músicas e foi assim que surgiu o primeiro disco ao vivo do Muqdisho.

Para muitos, morar no exterior traz a tona uma complexa gama de sentimentos que muitas vezes se solidifica em solidão. Os trabalhos do Solitudes apresentavam diferentes manifestações desse sentimento, interpretado de acordo com cada artista.

Quando se trata do som que apresentei no final da exposição, posso dizer que meu foco era um pouco diferente dos artistas já que meu maior desafio foi o de encontrar uma forma de tocar ao vivo músicas que nunca foram pensadas para serem apresentadas em público. Acabei passando algumas semanas pensando e rascunhando ideias sonoras que levaram para o som que você pode ouvir logo abaixo.

Minha solução veio através de curtos loops de fita cassete que foram combinados com samples e drone machines para aquela que seria uma das minhas primeiras apresentações ao vivo como Muqdisho.

Durante a apresentação, foi difícil para distinguir entre algumas das notas mais graves e ajudas e sei que isso deixou alguns momentos da apresentação um pouco mais caótica do que deveria. Porém, decidi mixar todos esses momentos de uma forma um pouco diferente e o disco acaba sendo uma versão um pouco mais clara do que aconteceu naquele dia em maio de 2019.

Solitudes é o nome de uma exposição que aconteceu em maio de 2019 aqui em Berlim. Com a participação de 3 artistas brasileiros radicados na capital da Alemanha: Gabriel Centurion, Tahian Bhering e Ingrid Bittar aka Britta. Durante a finissage, tive o prazer de tocar algumas das minhas músicas e foi assim que surgiu o primeiro disco ao vivo do Muqdisho.

Quando se trata do visual do disco que acabei lançando no Bandcamp há dois anos, a linguagem de design que decidi seguir é uma combinação da arte que criei para a black sun shines on me e white dead eyes stare into the void, álbuns que lancei antes desta apresentação.

Acabei brincando muito com as texturas nas imagens para representar de forma visual algumas das muitas texturas de som que você pode escutar nesse disco.

Você pode escutar esse disco no Bandcamp e no Spotify. Além disso, dá para visitar a página que criei para esse meu projeto sonoro direto no link abaixo.

Solitudes é o primeiro disco ao vivo do Muqdisho

1 thought on “Solitudes é o primeiro disco ao vivo do Muqdisho”

  1. Pingback: Meu poster para o Kontraklang com Sarah Davachi em Berlim via @ftrc

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.