Skip to content

200 dias em Berlin

Hoje eu completo 200 dias em Berlin e, quando eu paro para pensar em quanto minha vida mudou, fica até complicado conseguir descrever tudo aqui. Então resolvi criar uma lista bagunçada e sair postando as coisas que passam na minha cabeça. Fica muito mais fácil assim, presumo.

Existem estações do ano aqui e eu nunca tive isso antes. É estranho sair nas ruas agora e ver as folhas das árvores amarelando nos galhos e caindo pelo chão. Ver nozes pelos parques é mais estranho ainda, me sinto vendo um desenho animado do Tico e Teco. E, por culpa dessas estações do ano, essa semana marcou a minha mudança de guarda roupa. Sair para comprar roupas de frio foi algo que eu não havia considerado quando vim para cá mas que se tornou necessário na chegada do outono. Hoje tenho mais casacos do que bermudas e posso dizer que tenho um sobretudo de couro. Sim, eu sei.

Não sinto muita falta das coisas do Brasil, isso é verdade. Mas, uma coisa que eu sinto falta é o dito serviço ao cliente. De garçons a serviços de internet, nada faz sentido por aqui. É comum chegar num restaurante e demorar para ser atendido. É mais comum ainda fazer um pedido e ele demorar mais de 30 minutos para chegar. Mais comum ainda é, quando você vai almoçar com amigos, ver cada pedido chegando separado e todo mundo ficar esperando o resto chegar para comer. Sei que isso não é um problema mas eu acho que poderia ser melhor. E não é por maldade, parece ser uma total falta de interesse mesmo. É estranho. Já que mencionei serviços de internet ali, posso dizer que eles funcionam muito bem aqui. O problema é quando não funcionam e o quão impossível é resolver isso de forma ágil. Afinal, já enviei e-mails para provedores de internet e fui respondido por carta na semana seguinte. É assim que funciona.

os canais de Berlin

São tantas coisas para se fazer e lugares para ir que eu preciso anotar meus planos como nunca precisei antes. Quando mudei para cá, passei a acompanhar o que acontecia pela cidade através de alguns blogs, sempre que posso compro a Ex Berliner e sempre encontro alguma coisa diferente para se fazer em Berlin perdido pela internet. O legal é ver que, algumas vezes, acabo encontrando 15 coisas para fazer no mesmo dia em Berlin. Sempre tem um restaurante que eu nunca ouvi falar com uma comida de algum lugar estranho do mundo, depois tem uma exposição de algo que eu gosto, um show de alguma banda que eu sempre quis ver, uma feira de antiguidades e por ai vai. É fácil ficar perdido em Berlin. É muito fácil não saber o que fazer e mais fácil ainda sair para tomar uma cerveja cedo numa terça feira e voltar para casa as 6 da manhã do dia seguinte depois de passar por 5 bares estranhos e quebrar uma mesa depois de tentar dançar em cima dela. Sim, isso rolou comigo.

Antes eu andava para cima e para baixo com meus headphones, escutando qualquer banda que eu tivesse conhecido aquela semana mas aqui eu não faço nada disso. Gosto de andar no metrô prestando atenção nas pessoas e nas línguas estranhas que elas falam. Mês passado eu lembro de andar por pouco mais de 4 estações e escutar, pelo menos, umas 3 variações de português e nenhuma delas era esse brasileiro que eu falo. Não sei de onde essas pessoas eram mas elas falavam o português mais exótico que eu já escutei. Isso porque eles falavam uma lingua que eu entendo. Gosto de ver grupos de pessoas conversando entre si com uma sonoridade que eu desconheço totalmente.

Outra coisa que eu gosto em Berlin é ver como todo mundo aqui é louco. Tudo bem que muita gente diria que eu sou louco depois de escutar algumas histórias minhas mas aqui a coisa é diferente. Já vi, mais de uma vez, pessoas andando completamente nuas por ai. A primeira vez que isso rolou foi quando voltava para casa do meu brunch de aniversário. Lá estava eu chegando em Hermannplatz quando um senhor meio embriagado demais resolveu tirar sua calça e mostrar pro mundo que ele podia sentar nu no metrô. Numa outra ocasião, estava numa exposição quando entra um senhor de uns 60 anos, com um boné vermelho e um colar grande andando naturalmente por entre as pessoas que não se importavam muito com sua nudez. Tem dias que você pode ver um senhor pulando entre os vagões do metrô soprando bolas de sabão, tem dias que você vê um violinista tocando alguma música de Star Wars e pedindo dinheiro para resgatar sua família do Jabba, the Hutt. Berlin é meio maluca mesmo.

steglitz

Minha esposa me lembrou dessa e tive que editar aqui. Ande nos parques e se surpreenda com pessoas lhe oferecendo drogas. Isso acontece mais do que eu esperava e me surpreendi quando aconteceu na primeira vez. Minha academia fica do lado de um parque grande que tem no sul de Kreuzberg, um dia de tarde eu estava chegando lá quando duas pessoas vem falando comigo se eu queria heroína, maconha ou qualquer outra coisa. Isso aconteceu comigo em estações de metrô e até no meio da rua. Eu não uso drogas mas tenho esse cara aqui que confunde as pessoas, então eu entendo que elas venham falar comigo. Só não entendo porque fazer isso as 10 da manhã. Tai uma coisa que eu não esperava.

Não existem empregos em Berlin. Estou generalizando as coisas mas o mundo do trabalho é um pouco confuso demais pra mim aqui. A vantagem é que o custo de vida aqui é bem baixo, então você consegue sobreviver com cerca de €1500 aqui facilmente. Mas, não espere que você vai achar algum emprego que te pague isso facilmente. Tente trabalhar como freelancer para algum lugar via internet, abra uma startup, faça alguma coisa diferente. Mas, aqui não existem empregos. Pelo menos, não aqueles normais que você esperava conseguir. Quer um emprego normal na Alemanha? Mude para Munique.

Não sei como descrever isso mas, é bem comum andar pela cidade e se pegar maravilhado com alguma coisa totalmente aleatória. Não sei o que é em Berlin mas a cidade é foda de verdade. Já me peguei andando pela periferia da cidade, andando por entre pequenas casinhas, tomando uma cerveja e pensando em quão foda era tudo aquilo ao meu redor. Sempre morei em cidades grandes e nunca tive isso antes. Eu não sei o que é mas Berlin é foda. Já me perguntaram o que que fazia Berlin melhor do que outras cidades e eu não consegui descrever. Acho que o fato da cidade ter sido dividida durante anos ajudou a criar pequenas cidades dentro de Berlin. Você sai de um bairro para outro e parece que mudou de continente. E tudo isso pode ser feito de bicicleta, trem, metrô, ônibus, carro ou a pé, com uma facilidade que me deixa triste por todos os momentos que perdi no trânsito de São Paulo. Berlin é foda.

É, eu não sei descrever meu amor pela cidade, mas sei que gosto muito daqui. Espero continuar gostando da cidade quando completar meus 300 dias aqui e já estiver no meio do inverno. Estou ansioso pelo frio, pela neve e por tudo que vem junto. Espero sobreviver para fazer mais uns posts sobre essa cidade maluca que é Berlin.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.