Ich bin ein Berliner

as paredes de Kreuzberg são assim

Esse ano começou muito diferente do normal. Casei com a Marcela, assumi um trabalho bem interessante e mudei para Berlin. Entre todas essas coisas que mudaram, a Alemanha anda sendo a mais complexa e estranha. as estou aqui e só quero aproveitar o máximo todas essas coisas.

Minha mãe vive me mandando e-mails sobre minha vida aqui e como andam as coisas e eu prometi a mim mesmo que ia satisfazer essa carência maluca dela com algumas pequenas notícias diárias. No meio dos e-mails, resolvi declarar esses contatos com o nome de “Coisas que Aprendi em Berlin até agora”. Uma coisa meio Stefan Sagmeister, com o sucesso atrelado. Foi pensando nisso que surgiu essa lista abaixo:

  • A primavera alemã é um mito. A previsão para quarta feira já foi de neve e continua sendo de mínima de -3º, e eu não estou preparado para isso. Tanto que mais tarde vou sair para comprar uma bota. Meu tênis não aguenta essa chuva e frio.
  • Pode ser 3 da manhã mas, se você sai da ciclovia, alguém vai te dar um esporro por isso. Rolou comigo sábado quando resolvi tentar andar do lado da Marcela por alguns segundos. Um carro encostou do meu lado, a garota que estava sentado do lado do carona levantou uma placa escrito alguma coisa Polizei e me deu um esporro.
  • A melhor forma de andar por Berlin é de bicicleta. Compramos uma numa loja gigantesca em Prenzlauer Berg e estamos vivendo para cima e para baixo com elas. Algumas vezes o vento e a chuva acabam dificultando um pouco o passeio e temos que pegar o metrô com as bicicletas mas é mais tranquilo do que eu esperava.
  • As cervejas são baratas de verdade e vivo num mundo sem Heineken, o que tem deixando minha vida bem feliz. Aqui você consegue encontrar a Sternburg Export por cerca de €0,60 em quase todas as lojas. Já consegui achar mais barato que isso mas não lembro onde estava. Minha cerveja favorita é a Flensburger e ela custa algo como €1,20 e estou deveras satisfeito com esse valor.
  • Comer na rua é algo que temos feito com uma frequência boa. Já arriscamos restaurantes com comida tailandesa, vietnamita, indiana e, o meu favorito, sri lanka. É estranho ver como que, pelo menos aqui em Friedrichshain, existe um número grande de restaurantes do sudeste asiático. Sempre comemos muito bem e nunca paguei mais de €5 num prato grande o suficiente para minha fome de ciclista de fim de semana. Uma das melhores coisas de Berlin anda sendo o baixo custo dos alimentos. Já fizemos supermercado algumas vezes e os valores sempre foram abaixo do que aquilo que eu gastaria em São Paulo. Imaginava que isso fosse acontecer mas não sabia que seria com uma diferença tão grotesca.
  • A burocracia alemã é meio complexa quando se trata de alugar um apartamento. Mas, como não resolvi isso aqui ainda, vou deixar para fazer um post mais completo num futuro próximo.

E, é isso. A vida aqui na Alemanha anda fria mas com alguns raios de sol. Já vi um show do Therapy? e outro do Fuck The Facts, semana que vem vejo Valient Thorr e ontem acabei descobrindo um bar que toca metal e não techno. A vida anda melhorando.

4 thoughts on “Ich bin ein Berliner”

  1. Acho que ano passado comi mais comidas orientais do que a própria alemã. Fiquei em Lichtenberg e lá também tem bastante opção!
    Berlim cada vez mais se mostra uma opção válida, isso é incrível! Ainda mais com shows do Therapy?!

  2. Cara, eu nem sei se você curte, se não, deveria haha, mas em junho tem Jack White, a €30. Irei rs

    Sobre o apartamento, isso me dá medo haha. Nao quero gastar com hostel a vida inteira. Tava procurando uns pela internet, mas acho que vou ter que tar por aí pra alugar.

    E vou ter que passar por cima do meu trauma de andar de bicicleta, pelo jeito. rs

    Até breve.

  3. Oi Felipe!!! Achei seu blog por acaso, enquanto estava pesquisando sobre “qual melhor blog devo fazer”. Do tipo google, tumblr, ou sei lá mais o que. Achei este aqui bem legal. Mas nem é por isso que eu estou te escrevendo. Me chamou a atenção vc estar morando em Berlim há pouco tempo, recém-casado, novo trabalho…. Morei em Berlim por 2 anos e estou me matando tentando voltar praí. A cidade é incrível! Tenho certeza que o visgo que me prendeu em Berlim tb vai pegar vcs!!! Estou procurando ape em Neukölln… Se vc souber de alguma coisa me avisa, please! Boa sorte na adaptação, pra vc e pra Marcela! Quando eu desembarcar por aí podemos combinar de beber uma dessas cervejas alemãs super caras! bjos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.