Skip to content

Folk-se Festival apresenta Bonnie “Prince” Billy

Eu comecei a escutar folk em meados de 2005 e foi por pura influência do country. Antes disso, eu tinha um certo asco ignorante de qualquer coisa de violão e voz. Dai conheci Nick Drake e vi o quão errado eu estava. Atualmente, você pode ver pelo meu last.fm que eu escuto mais folk do que eu deveria.

Já o Bonnie “Prince” Billy é quase uma novidade para mim. Conheci ele no final de 2006 mas só resolvi dar a devida atenção a ele no início desse ano. E acabei gostando muito mais do que eu deveria. Então você já pode imaginar a minha felicidade quando soube que ele viria tocar aqui em São Paulo. Toda essa felicidade acabou ontem.

Se eu fosse uma banda que toca num pais como o Brasil, onde eles nunca tocaram antes, eu iria pensar um pouco no meu setlist. E tentaria fazer com que esse setlist fosse o mais abrangente possível em relação a tudo que eu já lancei. Eu penso assim, se eu vim parar no Brasil para tocar, iria tentar agradar esse público que veio me ver. 

O show foi exatamente o contrário. Devo ter algo como 9 discos do Bonnie “Prince” Billy e seus codinomes como Palace Music, Palace Brothers e sei lá mais o que. Mas eu acho que só consegui reconhecer umas 3 músicas durante todo o show. Death To Everyone, Master and Everyone e A Minor Place. Se eu fizer as contas, eu não reconheci 70% do que ele estava tocando e acho que eu não estava sozinho nisso.

A reação do público com a ausência de conhecimento das músicas que Bonnie “Prince” Billy tocava virou conversa, pessoas andando e irritação de quem tentava assistir ao show. Acabei indo embora no meio do bis quando percebi que não tinha reconhecido mais essa música. Ai desisti. 

Tudo bem, Will Oldham canta muito bem e é mais careca do que eu esperava que ele fosse. Mas esse show foi um dos piores que fui esse ano.  

Folk-se Festival apresenta Bonnie “Prince” Billy at Studio SP (São Paulo) on 27 Nov 2008 – Last.fm.

1 thought on “Folk-se Festival apresenta Bonnie “Prince” Billy”

  1. Cara, o setlist foi bizarro mesmo. muitas músicas eu não conhecia (e olha que tenho quase tudo dele e das centenas de projetos e parcerias).

    Sinceramente, eu gostei do show. pelo menos essas “novas” músicas estavam bacanas. Mas tem uma coisa que me deixa com o pé meio atrás… eu achei as canções meio “presas”. não sei explicar, mas acho que faltou espontaneidade, estava tudo tão “certinho” demais, seguindo exatamente como está na versão de estúdio.

    eu quase nunca vou em shows, mas quando vou costumo esperar por algo inusitado.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.