Skip to content

Vou de Bike – Dia Um

#voudebike - day one

Hoje foi o meu primeiro dia indo de bicicleta para o trabalho. Acho que demorei apenas uns 3 anos para tomar coragem de colocar esse meu plano em prático. Não sei ao certo do que eu tinha receio. Não sei se era a preguiça de correr atrás das informações sobre bicicletas em geral, se era o medo do trânsito paulistano, se era a total falta de forma física ou se era outra coisa. Sei que hoje foi o meu primeiro dia andando nas ruas de São Paulo.

Tudo começou no meio de julho quando participei da LibVee e acabei adquirindo minha bicicleta com eles. Também participei de uma tour básica do centro de São Paulo que acabou me dando uma certa confiança em andar pela cidade. Depois disso, acabei criando centenas de desculpas na minha cabeça para colocar essa bicicleta na rua. Troquei algumas peças dela e semana passada, cheguei a conclusão que não precisava mais enrolar e que já havia passado da hora.

Hoje, sai de casa por volta das nove da manhã. Descobri que não tinha enchido meus pneus o suficiente e que eu ainda estava cheio de receios e de medo para andar pela cidade. Medo de não conseguir andar o trajeto que eu tinha planejado, seja por que eu fui besta e o caminho não era para bicicletas, seja porque eu não tenho forma física para pedalar os quase cinco quilômetros e meio que separam minha casa do meu trabalho. Mas, acabou que deu certo. A cada quarteirão que eu superava, eu comemorava dentro da minha cabeça. As subidas da Avenida Sumaré destruíram por completo minhas pernas, a ponto de me fazer parar e andar com a bicicleta por um trecho final de uma ladeira. Porém, a descida foi perfeita. Tudo certo ali pela Praça Benedito Calixto e ainda mais certo pelas vazias ruas daquela parte de Pinheiros. Cheguei no trabalho suando mas com uma satisfação fora do comum. Quero ver como vou conseguir chegar em casa.

Minha meta é vir e voltar para meu trabalho de bicicleta. Todos os dias da semana. E, nas segundas e nas quartas, ainda ir e voltar do meu curso de alemão que fica ali na Avenida Angélica. Vamos ver se vai dar certo. Sorte e força de vontade, é só isso que eu preciso.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.