blog.ftofani.com / Esse é o blog pessoal do Felipe Tofani. Onde ele escreve e comenta sobre tudo que acha interessante mas não necessariamente é.

A Arte Perdida da Crítica de Design

Ano passado eu falei no Pecha Kucha Night e um dos pontos que tentei falar foi sobre a falta de crítica na comunidade de design. Não só na comunidade online mas no dia a dia mesmo. Afinal, a discussão crítica sobre o design pode ser, algumas vezes, tão importante quanto o processo em si. Aliás, se seu trabalho é feito em grupo, um retorno da sua equipe e de seus colegas pode mantê-lo interessado e ajudá-lo a aprimorar algumas técnicas que você nem sabia que precisava de aprimoramento.

Mas, apesar de toda a sua importância no processo de design, a crítica acaba ficando de lado. Muitos enxergam a crítica como sendo um reflexo pessoal dos relacionamentos pessoais e não uma visão do nosso trabalho. Tudo bem que eu não vejo dessa forma, mas sei muito bem que receber criticismo de profissionais despreparados pode ser tão útil quanto não receber nenhum. Esse artigo é sobre isso, sobre criticar o design de forma construtiva e sobre como receber esse criticismo de forma a aprimorar seu trabalho e não levar isso para o lado pessoal.

isbn 9760806 Wireframes and Digital

Toda crítica deve ser honesta e construtiva, esses são os dois pontos básicos do processo. Porque ninguém ganha nada se a discussão for repleta de elogios e tapas nas costas como se o mundo fosse perfeito. Mas, se você precisa falar muito sobre um layout, comece sempre pelo lado positivo e depois chegue onde você precisa chegar. O objetivo de toda crítica é fazer daquele design algo melhor e não fazer amigos, ganhar estrelas douradas e um abraço do seu chefe.

Sempre comente sobre o design com os objetivos do cliente e as necessidades do usuário em mente. Coloque em pauta como o visual se relaciona com a marca, com sua concorrência e que tipo de emoção aquele design deveria provocar. Será que isso é apropriado para nosso cliente? Entenda sua audiência e fale com ela em mente, não apenas seu gosto pessoal. Dessa forma você conseguirá ser mais articulado e evitar recomendações como “Gosto muito…” e “Não gosto do jeito que você…”. Existem diferenças entre a crítica e a opinião.

Quando sua função é receber a crítica, a regra básica a ser seguida é escutar. Sei muito bem que isso é difícil e que o seu primeiro impulso vai ser o de se defender de todo e qualquer criticismo. Mas, além dessa defesa matar totalmente qualquer discussão, você vai perder a oportunidade de realmente considerar as sugestões oferecidas pela sua equipe. Escute, por mais difícil que seja. Escute tudo o que os outros tem a falar e então dê sua resposta, defenda seu layout e seus conceitos onde for necessário e ceda as críticas sempre que possível. Anote todos os pontos mencionados, além de facilitar a alterações que você vai precisar fazer, também valoriza aquilo que seus colegas falaram. Pessoalmente, eu acho interessante conhecer o processo de criação das pessoas que trabalham comigo. Quando elas respondem bem a uma crítica, defendendo seu layout através de argumentos onde ela aponta seu caminho, sei que essa pessoa tem muito mais a acrescentar do que aquela que fala que seguiu uma direção porque achou bonitinho. Sempre tente expressar a forma que você pensou, como chegou àquela direção e como essa idéia visual chegou a sua cabeça, dessa forma, sua equipe vai conseguir chega a críticas mais interessantes e construtivas onde todo mundo tem muito mais a ganhar.

Criticismo é essencial em todo processo de design. Mesmo quando eu trabalhava em casa como freelancer solitário, eu procurava o feedback de alguns colegas online ou mesmo da minha namorada aqui comigo. Use das redes sociais para conseguir aquela opinião que você precisa. Afinal, é muito simples se perder num layout quando a direção que você recebeu não é das mais fortes. E eu sempre acreditei que você não pode se considerar um designer se não sabe receber criticismo e nem criticar o trabalho dos outros. Design não é arte. Design tem em mente resolver o problema de alguém. Seja ele de aumentar as vendas de alguma empresa ou de informar alguma coisa. Quando paramos de avaliar nosso trabalho, nós paramos de crescer como profissionais. E ninguém quer isso de verdade.

“A arte quase perdida da crítica de design” foi escrito para publicação como embaixador da Volvo em sua página no FB: http://vol.vc/mwlcBL.