rdio

Be All End All do Manes

Be All End All é o último disco dos noruegueses do Manes e um dos melhores lançamentos musicais do século.

Fear Factory – Demanufacture

Ainda lembro bem da minha cara quando escutei a intro de Demanufacture a primeira vez. Foi naquele momento que eu descobri que queria tocar bateria e que o Fear Factory iria se tornar uma das minhas bandas favoritas. Anos depois, acabei celebrando essa banda com uma tatuagem de um dos discos dele na minha perna. O disco é o Obsolete e a tatuagem foi a primeira que eu fiz na vida. Vocês não acreditam na minha cara quando eu fui ver um show do Fear Factory pela primeira vez…

Mas, voltando ao Demanufacture, conheci a banda quando escutei a trilha sonora de Mortal Kombat pela primeira vez. Eu deveria ter uns 15 anos na época e sei que não entendi nada do que escutei no filme e fiquei ainda mais confuso quando escutei o disco pela primeira vez. Zero Signal marcou muito bem um dos primeiros momentos onde pensei se aquilo que eu escutava fazia sentido.

Read More »Fear Factory – Demanufacture

Misery Loves Co.

Fui almoçar em um restaurante de massas hoje e fiquei conversando com uma das pessoas que trabalhavam lá sobre música. Eu estava com uma camiseta do Ministry e ele veio falando sobre algumas bandas que ele gosta nesse estilo. Foi ai que ele me mostra uma tatuagem do Misery Loves Co. e pronto. Depois disso, passei o resto da tarde escutando essa banda sueca que eu nem lembrava que existia.

Read More »Misery Loves Co.

Body Count – Manslaughter

Body Count - Manslaughter

Manslaughter é o retorno do Body Count ao mundo. No quinto album da banda que não lançava nada desde 2006, dá para ver que eles voltaram com tudo. E com um mix de sexo e violência que vai deixar muita gente sem graça.

Posso dizer sem problemas que descobri o Body Count na época da controvérsia que Cop Killer causou. Mas, não lembro de escutar muito a banda até que li sobre o retorno da banda. Ai sim redescobri a banda e percebi que poderia ter me divertido um pouco com a banda durante uns anos.

Read More »Body Count – Manslaughter

Angel Olsen

Angel Olsen lançou há poucos dias, um dos meus discos favoritos de 2014. Burn Your Fire for No Witness é o nome desse disco e, se eu escutasse esse disco numa vitrola, poderia dizer que a agulha já está furando ele. Essa é a verdade. O som que ela toca me lembra uma estranha mistura de Leonard Cohen com Johnny Cash. Deve ser algo na forma com a qual ela toca o violão e canta ao mesmo tempo. Deve ser algo no tom da voz dela ou algo assim. Não sei o que é mas sei que gosto.

Angel Olsen começou a tocar suas músicas aos 16 anos em Saint Louis, no Missouri. Pouco tempo depois já tinha ido para Chicago e esta abrindo uma tour do Bonnie “Prince” Billy. E, com esse disco novo, terei o prazer de vê-la tocar aqui em Berlin no final do mês. Só espero que ao vivo, seja tão legal quanto no video abaixo.
Read More »Angel Olsen

July da Marissa Nadler

Marissa Nadler July 2014

July é o novo disco da Marissa Nadler e serve como uma ótima forma de se apresentar a sua voz suave e a sua melancolia. Conheci a Marissa Nadler em meados de 2007 quando escutei o Song 3: Bird On The Water e me apaixonei pela música Diamond Heart. Foi na época que eu comecei a prestar mais atenção em folk e algo me chamou a atenção na voz suave da Marissa Nadler e no seu violão quase minimalista. Com o passar dos tempos, acabei deixando esse disco de lado até que July foi lançado.
Read More »July da Marissa Nadler