blog.ftofani.com / Esse é o blog pessoal do Felipe Tofani. Onde ele escreve e comenta sobre tudo que acha interessante mas não necessariamente é.

Hellfest -19/06

Slash

Sábado no Hellfest e o que fazer? Esse era o dia do Immortal, do Carcass, do Alice Cooper e do Slash. O dia que a RockHard tent teria My Dying Bride, Dark Funeral, Atheist e Watain. Além de que, sábado era o dia do hardcore na Terrorizer tent, com bandas como Agnostic Front, As I Lay Dying, Unearth e Jello Biafra e seu Guantanamo School of Medicine. Hoje eu não sei porque mas no dia pareceu uma boa ideia desbravar a cidade de Clisson. Precisávamos de lanternas já que acampamos num lugar meio distante do mundo e precisávamos de suprimentos para evitar gastar todo o nosso dinheiro no festival.

um lidl ao fundo

Clisson é uma cidade pequena. Pequena não, minúscula. Tem cerca de 6 mil habitantes e quadruplica de tamanho quando o Hellfest acontece. Mas mesmo sendo minúscula desse jeito, tem dois supermercados grandes e um McDonalds. Era lá que eu roubava wi-fi e postava falando sobre as bandas que eu não ia ver. Também foi lá que eu resolvi me inspirar em Pulp Fiction e pedir um “Royale with Cheese” que não tinha mas que acabou vindo na forma de um “Royale with Bacon”. Muito melhor mesmo.

Immortal

Mas voltando ao Hellfest… Sábado também foi o dia de desbravar o Metal Market onde peguei alguns vinis remasterizados do Godflesh, umas camisetas de bandas como Neurosis, Pig Destroyer, 16 e onde fiquei perdido com tantas opções de compra. Galeria do Rock é pequeno perto do que eu vi lá. Ótimas compras e ótimas cervejas pelo local.

httpv://www.youtube.com/watch?v=_GAMY-8XDgg

Quando voltei para região dos palcos principais do Hellfest, peguei uma das sequências mais bizarras do mundo. Em um palco tocou Slash e sua banda, no outro o Immortal, no primeiro o Twisted Sister e depois o Carcass e fechando tudo com o Alice Cooper. Minha noite foi isso, foi ver o Immortal pela primeira vez e admirar toda a bizarrice de uma das bandas mais clássicas do black metal. Além de ver pela segunda vez o Carcass, mas num show quase especial já que eles tocaram quase todas as músicas do Necroticism – Descanting the Insalubrious pela primeira vez desde o lançamento do disco em 1991.

Esse segundo dia de Hellfest foi o mais simples e medíocre de todos os dias. Não eram muitas as bandas que eu queria ver e acabei ficando perdido pelo local. Foi um dia de compras e de passeios, uma espécie de descanso para o terceiro e último dia do festival mais foda que eu já fui.